sexta-feira, 15 de setembro de 2017

Sismus lança campanha para revogar reforma trabalhista

O Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Sarandi (Sismus) se juntou ao movimento nacional da Campanha Pela Anulação da Reforma Trabalhista, que vai coletar 1,3 milhão de assinaturas para Projeto de Lei de Iniciativa Popular que propõe a revogação da Reforma Trabalhista de Temer, prevista para entrar em vigor no próximo dia 11 de novembro. É mais uma tentativa da classe trabalhadora de resistir ao golpe que está orquestrado contra os direitos garantidos.

Após o recolhimento das assinaturas, o projeto será entregue à Câmara dos Deputados, com o lançamento de uma nova etapa da campanha, para exigir a votação da proposta. O objetivo do Projeto de Lei de Iniciativa Popular é fazer com que essa medida se some a outras 11 leis revogadas por meio desse instrumento.

A campanha pela anulação da Reforma Trabalhista foi aprovada pelas confederações, federações e sindicatos da CUT, durante o recente Congresso Extraordinário e prevê também a criação de comitês por essas entidades, para coleta de assinatura. Uma dessas organizações é o Sismus que nesta semana já realizou reunião com representantes da sociedade e movimentos sociais para discutir estratégias de trabalho.

O lançamento da campanha em Sarandi acontece neste domingo (17 de setembro) na Praça dos Pioneiros durante a feita livre que acontece naquele local, à partir das 8h30. Lembramos, no entanto, que para a validade do abaixo-assinado, é necessário apresentar o CEP da residência e título de eleitor.

Primeira reunião do Comitê de campanha nacional de coleta de assinaturas para o projeto de lei de iniciativa popular pela anulação da reforma trabalhista

Primeira reunião do Comitê de campanha nacional de coleta de assinaturas para o projeto de lei de iniciativa popular pela anulação da reforma trabalhista

Primeira reunião do Comitê de campanha nacional de coleta de assinaturas para o projeto de lei de iniciativa popular pela anulação da reforma trabalhista

quinta-feira, 14 de setembro de 2017

Assembleia Geral vai abordar vale-alimentação

O Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Sarandi (Sismus), em conformidade com o Estatuto da Entidade convoca todos os servidores a participarem da Assembleia Ordinária que será realizada na quarta-feira, 27 de setembro de 2017, na Câmara de Vereadores da cidade.

A primeira convocação está marcada para às 17h45. Em caso de insuficiência de quórum, de acordo com as regras estatutárias, a assembleia será instalada às 18h com qualquer número de servidores.

Na pauta da assembleia serão tratados os seguintes temas: vale-alimentação ( Por quê não saiu?), insalubridade e periculosidade, condições de trabalho dos funcionários de escolas e CMEI's e informes gerais.

A Câmara Municipal de Vereadores de Sarandi está localizada na Avenida Maringá, 660.

terça-feira, 12 de setembro de 2017

Decreto que regulamenta eleições para diretores é distribuído nas escolas

Já está sendo distribuído nas unidades da Rede de Ensino Municipal de Sarandi, decreto que regulamenta a eleição para diretores dos estabelecimentos. Na Terça-feira (5), a Secretaria Municipal de Educação (Smed) enviou ao sindicato cópia da proposta que já tinha sido redigida conforme acordo na última reunião entre sindicato e a Smed.

Clicando aqui, você pode conferir quais foram as alterações propostas pelo sindicato enviadas por meio de ofício e, que em grande parte, foram acatadas pela administração. No entanto, a direção do Sismus acha estranho que até o momento tal decreto ainda não tenha sido publicado em jornal diário, como de costume nas decisões públicas municipais. Defendemos que o documento não tem validade, o Sismus já entrou em contato com a Smed e caso algum servidor se sinta prejudicado poderá recorrer.

Você também pode baixar, visualizar ou imprimir o decreto clicando aqui. Se informe, não deixe de participar desse momento de decisão.


segunda-feira, 11 de setembro de 2017

Cronograma para a eleição das diretoras na Rede de Ensino Municipal de Sarandi

O Sismus divulga o cronograma para eleição de diretores municipais na Rede de Ensino Municipal de Sarandi. Você servidor, fique atento e esteja alerta para este momento importante da democracia.


terça-feira, 5 de setembro de 2017

Jurídico encaminha ação de retroativo das elevações horizontal e vertical para professores

Em assembleia com os profissionais da educação no dia 22 de fevereiro, os servidores deliberaram por reivindicar a atualização do Plano de Carreira, Cargos e Remuneração (PCCR), tendo como base o Plano Municipal de Educação (PME), de 2015 que previa mudança no porcentual de 5% da elevação horizontal e 10% na vertical. A norma deveria ser implantada em 2016, mas o município descumpriu o acordo, o que significa que duas leis não estão sendo cumpridas, tanto o PCCR e o PME.

Naquela ocasião, o jurídico do Sismus verificou a possibilidade de ingressar com ação cobrando ressarcimento dos servidores com o prejuízo das elevações que não foram pagas ano passado. Atualmente o processo foi encaminhado pelas advogadas do sindicato e está disponível para consulta no site do Projudi, sob o número 0007242-04.2017.8.16.0160. Reforçamos que nossa defesa é por um sindicato forte, independente e de lutas.

quarta-feira, 30 de agosto de 2017

Auxiliares de Farmácia encampam a luta

Na última segunda-feira (28 de agosto) a auxiliar de farmácia Tatiane expôs na Tribuna da Câmara Municipal, durante a sessão do Legislativo, as várias dificuldades enfrentadas pelos servidores da categoria. Houve também protestos das servidoras que mostraram união com cartazes nos quais estavam escritas as reivindicações das trabalhadoras.

A luta não é de agora e o sindicato por meio de seus dirigentes tentou diversas vezes se reunir com a secretária de Saúde Sandra Regina Jacovós, sem sucesso. Portanto, o presidente do Sismus Nilson do Nascimento protocolou ofício ao prefeito, Walter Volpato (PSDB) e a Sandra Regina informando sobre a decisão das servidoras na última assembleia da categoria no dia 15 de agosto em paralisar as atividades, caso não sejam recebidas pela administração imediatamente. (Confira o Ofício Enviado ao Prefeito e ao Ofício Enviado à Secretária de Saúde)

Confira abaixo, o texto lido pela servidora Tatiane na Tribuna da Câmara:

"Meu nome é Tatiane, e estou aqui representando todas as auxiliares de farmácia do município de Sarandi. Acredito que a maioria de vocês já sabem as nossas reivindicações. 
Gostaria de relembrá-los que no município somos apenas 3 farmácias, sendo uma do lado norte da cidade (municipal) e as UBS do Flores e Bela Vista que ficam do outro lado da cidade, lembrando também que a cidade tem aproximadamente 92 mil habitantes e 90% da população retira medicamentos no SUS. A média de atendimento na farmácia municipal é de 600 a 700 atendimentos diários, totalizando final do mês de 12 a 15 mil atendimentos, deixando claro que esse percentual é somente na farmácia municipal, fora as UBS.
Está se tornando cada dia mais difícil o atendimento, pois, está sobrecarregando e nos dando um desgaste mental, fazendo com que nos obrigue a pegar atestados se a situação não for revertida, pois iremos acabar ficando doentes, consequentemente afetando a população em geral. Como podemos fazer um bom atendimento com nossa saúde afetada? A população não tem culpa, mas precisamos de uma solução.
Acredito que todos nós e nossos familiares dependem da farmácia do município.Não temos insalubridade, somos as únicas da área da saúde que estão excluídas da carga horária de 30h semanais, isso nos demonstra um descaso com nossa categoria. Gostaríamos de ser reconhecidas e que nosso trabalho fosse valorizado.
Gostaria também de lembrar ao prefeito juntamente com os vereadores que apoiaram sua campanha, que o mesmo iria valorizar o servidor público, não significa por que somos uma categoria pequena em relação as demais que não merecemos um atendimento digno de respeito.
Gostaria de deixar claro que isso não é uma crítica e sim um desabafo da categoria de funcionárias que estão no limite e de maneira nenhuma gostaríamos que isso afetasse a população.
Senhor prefeito, estamos apenas reivindicando o direito da carga horária de 30 horas semanais e insalubridade. Agradeço a todos pela atenção e oportunidade".
Clique para ampliar
Clique para ampliar



sábado, 26 de agosto de 2017

A verdade sobre o vale-alimentação

Quando se iniciaram as discussões sobre o vale-alimentação, a proposta do Sismus era de um benefício no valor de R$ 180,00 em formato cartão magnético que desse oportunidade ao servidor de escolher onde e no que ele quisesse utilizar.  Na ocasião, o sindicato também defendeu que todos os servidores sem exceção tivessem o direito ao auxílio independente da faixa salarial, diferente do que ocorre atualmente com a cesta.

Mas essa proposta não foi aceita pela administração Volpato, que se dispôs a pagar R$ 150,00 aos servidores efetivos da administração direta (Prefeitura) e indireta (Autarquias e Preserv), cuja remuneração não exceda três salários mínimos municipais (R$ 972,00), totalizando R$ 2.916,00. Em assembleia no dia 10 de março deste ano, os servidores aprovaram a contra-proposta da administração.

Os trabalhadores entenderam que mesmo que o valor do benefício fosse abaixo do que a categoria desejava, ainda era melhor do que a cesta básica, que obriga o trabalhador a receber produtos que pouco se utiliza e que não atendem às suas reais necessidades. Os servidores também compreenderam que inicialmente seria vantajoso acatar a proposta de conceder o auxílio a 70% da categoria, mas que futuramente isso pudesse ser negociado com a administração.

Enfim, Volato precisava somente redigir a lei e assim que fosse enviada e aprovada pela Câmara Municipal de Vereadores, seria feita a licitação da empresa que gerenciaria os cartões magnéticos. Passados quatro meses e estranhando a demora em se prosseguir com o trâmite, os dirigentes do Sismus estiveram em reunião no dia 11 de julho com o secretário de Administração João Cláudio Massago Mello para cobrar explicações.

Na reunião, o secretário de administração se comprometeu em enviar ao Legislativo naquele mesmo mês o projeto de lei que institui o vale-alimentação e também solicitação de alteração na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2017. Segundo Massago, o atraso ocorreu pelo fato de que a nova administração ainda estaria colocando as coisas em ordem. Contudo, segundo ele, o prefeito Walter Volpato (PSDB), teria determinado que o processo fosse agilizado o mais rápido possível.

Eis que em reunião (solicitada pelo sindicato para tratar de várias pautas, entre elas, o vale-alimentação), no último dia 22 de agosto, terça-feira, para surpresa dos dirigentes, a procuradora do município Marli Gonzales, afirmou que por orientação do Tribunal de Contas, órgão fiscalizador do município, o vale-alimentação, não poderia ser concedido a uma parcela dos servidores e sim a todos. Por isso, ela teria emitido um parecer contrário depois que a lei estava pronta.

No entanto, o referido parecer nunca chegou ao conhecimento do sindicato, que orientado por seu departamento jurídico para embasar a defesa pelo vale-alimentação reuniu jurisprudências que comprovam que o benefício pode sim, ser concedido a parte dos servidores. A reunião ficou tensa e travou, a indignação tomou conta da direção e da advogada do sindicato diante do desrespeito da administração ao servidor, pelos seguintes motivos:


terça-feira, 22 de agosto de 2017

Sindicato se reúne com Volpato e cobra vale-alimentação

Nesta terça-feira (22 de agosto) a diretoria do Sismus e a advogada do sindicato Gisele Veneri, se reuniram com o prefeito Walter Volpato, quando se pretendia discutir diversas pautas dos servidores municipais de Sarandi, que estão travadas por falta de vontade política da administração.

O encontro já começou com atraso do prefeito, marcada para às 15h30, a reunião começou efetivamente por volta das 16h e ainda precisou ser interrompida devido a uma agenda de Volpato em Maringá, às 17h. Diante disso, dos diversos assuntos que deviam ser encaminhados, a grande maioria sequer foi apresentada, mostrando que o trabalhador municipal não é uma das prioridades deste governo.

Pelo menos, um tema pode ser debatido, o vale-alimentação, que tarda em ser implementado. A reunião foi difícil, mas há novidades, as quais serão apresentadas pelo sindicato em assembleia geral que será marcada nos próximos dias. A luta continua... 


sexta-feira, 18 de agosto de 2017

Atenção servidores da educação, há novidades!!!!

Dirigentes do Sismus estiveram em reunião com a secretária de Educação do município Maria Aparecida Queiroz da Silva e demais membros da Secretaria Municipal de Educação (Smed), na última sexta-feira (11 de agosto). Em breve, o sindicato convocará assembleia onde vai apresentar aos servidores do magistério o resultado do encontro e as novas diretrizes de luta. Aguarde!!!!

terça-feira, 15 de agosto de 2017

Professores podem não entrar em sala a partir de hoje

Os professores da Escola Municipal Machado de Assis estão passando por uma situação dramática. Desde o início do ano, por falta de professores no quadro de funcionários, eles estão abrindo mão de duas das seis horas-atividades a que tem direito. A situação que já era difícil ficou pior nos últimos meses, quando os docentes estavam ameaçados de perder todas as horas extraclasses, devido a transferência de professores para outras funções na rede ou aposentadorias (duas num único dia) somado a lentidão e baixo número de convocados dos aprovados em concurso.

Na tarde de sexta-feira (04 de agosto), os professores reivindicaram a presença do sindicato para uma reunião na escola. Muito indignados, eles levantaram a hipótese de não entrarem em sala para cobrir aulas de outro professor em sua hora-atividade. O sindicato distribuiu ofício enviado a Secretaria Municipal de Educação (SMED) pedindo contratação de professores e exigindo a presença de docentes da rede que estão fora da sala de aula trabalhando na Secretaria, o que é perfeitamente possível em situação de emergência. A direção do Sismus garantiu apoio incondicional aos professores caso eles se recusassem a entrar em sala fora de seu horário. Por fim ficou encaminhado, por sugestão do sindicato, reunião com o conselho escolar.

Reunião com o Conselho Escolar

Na quarta-feira (09 de agosto) os membros do Conselho Escolar, do qual a diretora da escola é presidente se reuniram na própria Escola Machado Assis, o encontro contou ainda com a presença de representantes da SMED e do sindicato. Na reunião os professores explicaram há quanto tempo estão abrindo mão de seus direitos que provocam a perda na qualidade de ensino.

A SMED justificou as dificuldades pela burocracia no processo de contratação que é demorado refletindo na desistência de alguns convocados. Outro problema apontado foi a falta de índice na folha de pagamento para chamar outros aprovados.

O Sindicato foi incisivo em dizer que o problema é mais agudo e geral e que a solução só virá com planejamento e principalmente com a recomposição do quadro de professores e com a convocação imediata dos aprovados em concurso.

Diante disso, o Conselho Escolar deliberou, por proposta do SISMUS, enviar Carta ao Prefeito exigindo a recomposição imediata do quadro de professores da Escola com a chamada de novos concursados. Mas a contratação por mais ágil que seja, sempre leva algum tempo, então o Conselho aprovou a reivindicação para que a SMED mande um professor a partir de hoje (terça-feira, 15 de agosto) para garantir ao menos 4 horas-atividades. Os representantes da secretaria se comprometeram em levar a proposta a secretária. Os professores decidiram que se não forem atendidos não entrarão mais em sala a partir de hoje.

O Sismus defende que não só é possível, mas absolutamente necessário atender os professores e se coloca à disposição de maneira incondicional ao lado dos docentes. O apoio da comunidade escolar é decisivo na solução dos problemas da escola, que afinal diz respeito a todos, nossos parabéns ao Conselho e a comunidade escolar que representam.

Hoje a direção do sindicato tem agendada uma reunião com a secretária onde retomaremos o problema e lembramos que não é um caso isolado. No dia 22 de agosto, a reunião será com o prefeito onde será feita exigência da necessidade de a administração fornecer meios para contratação de professores e funcionários de apoio para toda rede municipal de ensino.
Na sequência dessas duas reuniões a direção do Sismus vai convocar assembleia da educação, em data e local a definir.

SISMUS – “Gestão servidores Em Luta”


Clique aqui para visualizar ou imprimir o documento